"Meus Pensamentos"

segunda-feira, 11 de agosto de 2014

O passado presente

Já teve o tempo que o querer de ser maior e melhor era forte,já teve tempos que a luz dos meus olhos brilhavam com intensidade com o novo descoberto,já teve tempo de eu pensar no que escrever,já escrevi poemas,versos,textos,todos estes tão incompletos nesse mundo tão complexo.Rabiscar o papel sempre foi o meu melhor calmante ,alivia meus pequenos males,uma mente fértil que libera as melhores palavras na lembrança de um simples perfume,uma certa musica.Escrevendo me descubro,que as vezes levo alguns sustos com a leveza que escrevo palavras duras,aos meus olhos nunca mudei,ainda continuo uma menina,não é medo de amadurecer,até porque isso é inevitável,hoje com a idade que tenho sempre dou risadas de piadas passadas,me emociono com filmes passados como se fosse a primeira vez a assistir.Hoje não quero escrever nada de rimas,nenhum poema,aqui sempre foi meu refugio,meu abrigo e como eu disse no começo do texto,esse querer de ser melhor nunca ficou tão distante,não sei se é porque o melhor de antes eu já superei,ou deixei de me interessar,passei a vida inteira ouvindo que sou muito calada,que falo só o necessário,nada de mais,nada de menos,por Deus,será que é sou eu que acho que desperdiçar palavras é crime?Palavras na mesma proporção que me encantam me assustam,não sei se usa-las de forma desnecessárias salvaria algo,o silencio por si só já responde muita coisa.Nesse momento em que aqui escrevo,elas fogem da minha mente com uma rapidez que mal posso entende-las e criar sinônimos a elas,não adiantaria,perderia sua essência,e confesso que escrever ainda é a terapia pra minha alma,a melhor e mais eficaz de todas,então termino aqui esse texto pra lá de maluco que a cada parágrafo me fez ri um pouco e fim.

sexta-feira, 8 de agosto de 2014

PEQUENO QUERER


Essa mania de me embriagar em suas melodias virou rotina,que por vezes me esqueço da realidade pacata.Me inspira de uma forma incrível,já teve tempos que as cinzas destas mesmas melodias gritavam em meus sensíveis ouvidos a ponto de não suportar.Eu nem sequer entendia o porque.Vendo seus pequenos dedos se movimentando tão rapidamente em seu violão,entendi que as notas na qual toca,nunca mudaram,o que mudou foi minha pequena visão,deixei de me envolver só com o concreto,o melhor da vida nem precisa ver,só sentir.Sei que seu olhar preocupado custa entender o que se passa constantemente em minha mente,a inconstância sempre me roubou,esqueça aquelas pequenas dúvidas sobre aspectos tão banais,meu bem o pequeno nunca impressiona,nunca impulsiona.Talvez não entenda com tanta clareza o que aqui escrevo,é uma mistura de momentos,mistura de sensações que me levaram a conclusão,que o maior de todos os presentes é esse conjunto de tudo,tudo que o dinheiro não pode comprar,esses pequenos instantes,que afinal é só deles que lembro.

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

"Sagrada espera"

Hoje acordei com a maresia batendo mais forte na janela,maresia trazendo boas novas,estas novas antes já conhecidas,mas porque hoje acordei vendo o bonito?O alegre?Aquela ausência me abandonou ou foi eu que a deixei embora?Tantas perguntas para um dia de risos,amores e luzes,esse brilho todo me fez fazer a melhor melodia,o  melhor sabor,a melhor saída,emana aquela dança,que não vem  por mero desejo de dançar e sim por felicidade,agora sim é nesse ponto que eu quero ficar,realmente o tempo é o dono de todas as coisas,o tempo da espera me fez amadurecer em requesitos tão banais,seria até pecado em dizer que sou a mesma,tive que mudar nos detalhes pra alcançar e suportar o que me aguardava,pequenos detalhes acumulados se tornam pesados quase impossíveis,tive que perder pra ganhar,doar pra receber,e como recebi,é questão de mérito mesmo,demora mas vem,essa espera nunca foi tão difícil,nunca foi tão angustiante,tão sem respostas,mas ela sempre oferece alegria e descanso,não porque chegou no final,mas é como se a vida dissesse calma,tem outras fases,só que essa já foi vencida,prosseguir e seguir,sensação que nos torna um,olhar diferenciado,sorriso antes nunca usado,pensamento que eleva,mas não tira do chão,se sentir completa é disso que falo,se eu soubesse disso antes de nada adiantaria já que fazia coleção de vaidades,eu nunca mais serei a mesma,obrigada Senhor!

"Do termo reiniciar"

Se fosse pra contar os meses e as horas perceberia que muito tempo se passou,embora minha mente se negue a perceber isso,só mesmo a ausência pra acordar e me lembrar que nada restou,já não somos os mesmos,o futuro que aguarda,já não é tão desconhecido assim,por vezes confundi intensidade com emoção,não foi um desejo ingênuo de me enganar,e que por um instante acreditei que essa roda gigante poderia rodar no sentido contrário.A grande verdade é que sempre fui uma eterna aprendiz e ainda não me convenci  que tive que voltar pra resgatar o que esqueci,não me convenci  que devemos nos sacrificar pra ver o bem de outrem,mesmo que não beneficie a nós mesmos,essas escolhas de vai e vem cansam,porque se passa por esse processo constantemente  e essa  mania de teimosia  é o carma que carrego,já sabendo o final disso tudo e como o velho ditado diz ” temos que plantar para colher”procurei outras raízes,bem distantes das quais já conhecia,mas não se pode ir muito além de onde suas raízes alcançam,existem terras que realmente não são férteis,e reiniciar foi tão estranho mas voltar a entender e lembrar o que eu tinha esquecido foi fundamental.E se colhemos o que plantamos,espero obter uma boa colheita!

sexta-feira, 15 de novembro de 2013

"Deixa estar"

Aquela ventania de novo vem me atormentar,uma mistura de calor e frio que chega a dar calafrios,e de novo tenho que me apressar,porque as horas passam tão rápido?Ha por favor tempo,tenha paciência comigo,não me perca de vista,essa pressa de nada vai adiantar se a estrada é a mesma.O que me importa mesmo e dar aquela pausa,não quero o novo,não agora,deixa pra depois ,me acostumei com essa mania de não agradar,e não posso mudar,desculpe futilidades fui criada assim,então peço que tirem esses olhos cheios de preconceitos,porque esses velhos conceitos não me assustam mais,aquela velha preocupação deve está perdida na minha bagunça,que de tão perdida deixei de me interessar.Esses vícios todos aos poucos estou me libertando e nem quero lembrar de como isso tudo começou,porque terminou de forma ligeira que nem percebi,já vi o que não devia,agora vou colocar minha fantasia e seguir,é não é bem assim que planejei,mas deixa estar,to gostando assim desse jeito torto,desse jeito louco que me fascina,que me desvia do foco onde queria almejar,há quer saber,deixa pra lá,e quanto a essa ventania?Deixa estar,fecho os olhos e aproveito o “brisar” que ela trás ...

domingo, 27 de outubro de 2013

Dias confusos

E essas oscilações até quando terei que lidar?Desequilibra minha mente,me faz fugir do meu mundo,me faz perder a visão.Dias loucos,na verdade torturantes,ver toda aquela gente fazendo o que faz,se adorando,pregando verdades incertas,até quando terei que suportar isso?Ma não é só isso que me tira do meu mundo,aquelas palavras,o conjunto delas ou somente palavras soltas,ainda me atormentam muito,essa sensação de impotência vai me consumindo por inteira,e todas aquelas velhas regras foram quebradas,queria que soubesse e nem ao menos fui punida.Esse descontentamento passa,essa agonia passa,só não passa essas oscilações.Essa vontade de fazer tudo diferente me tira do serio,me soa tão falso,até porque o impulso do pensamento é a atitude e a ausência dela que me faz ficar exausta,até quando terei que perceber que meros caprichos não me preenchem mais,é realmente tudo tão estranho  ter que começar tudo novamente,a vontade  que me ronda é deixar exatamente como está,nesse mundo do avesso que a um certo tempo me agradou,que a um certo tempo me completou.Hoje eu vejo essas cores tão desfocadas,tão distantes que chego a ter pequenas lembranças de como isso já me fez bem,o que acontece mesmo é que ao redor daquela memoria intensa,houve um surto,surto de tudo aquilo que eu não pude alcançar,e me lembrar daquelas vozes irritantes me fazem perder a razão,mas surto passa,tudo passa,só não passa essas oscilações.

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Presença

Era só mais uma manhã de calor como todas as outras,mas na verdade não era como todas as outras,algo tinha mudado,algo já não era igual,será que é como dizem:”todo dia acordamos diferentes?”,não,acho que não era essa questão,na verdade aquela manhã,trouxe aquela velha lembrança de como tudo começou,desde do inicio ,aquele cheirinho de café fresquinho,aquela sensação boa de estar em casa,há e principalmente aquela “presença”,pensei por um tempo,que já não mais sentiria,por tanto descaso pensei que tivesse esquecida em algum lugar e por mais incrível que pareça não estava fria tampouco vazia,agora a questão é saber discernir se é nesse caminho que quero continuar ou não,e como isso pode ser mais presente em minha vida,ai vem de novo aquelas velhas lembranças,aquela velha inocência há que saudade daquela sagacidade,que saudade daquela confusão com tantas responsabilidades,que quando lembro me fazem rir,só observei que o tempo passou porque isso me parece tão distante,deixei acumular tanto tempo,mas uma hora ela  bate na porta e como bateu,sem  atrasos e acasos,como se chegasse dizendo “ta na hora,lembra?” e como eu poderia negar uma dádiva dessas?Se ele me proporcionou isso porque negaria,poderia ser tudo tão diferente se continuasse naquela mesma linha de sempre,aquela coisa rígida e quadrada de sempre,não,acho que não era isso que eu pretendia nunca foi,entendi que precisei sair daquele círculo para que eu pudesse dar um mergulho mais fundo,sair da superfície foi necessário,e claro tudo que é intenso,tem os dois lados da moeda e nem sempre esses dois lados,tem algum bom,mas já que é na prova que somos testados,posso dizer que passei dessa vez,dessa vez foi diferente,não procurei me encontrar como sempre,nem me ausentar como queria,só me deixei me levar,porque que já sentiu e sabe do que estou falando,sempre sentirá aquela presença,não é uma escolha e sim um chamado.